Olá, pessoal! Nós somos a equipe de Robótica Dynasty da Escola SESI Djalma Pessoa, Salvador, Bahia. Junto com a equipe Tecnomaníacos, nós iremos representar o SESI – BA na etapa nacional em Brasília. Hoje, nós viemos compartilhar com vocês o nosso projeto de pesquisa:

Você tem medo de tubarão? No ano de 2013, ocorreram 2665 ataques de tubarões em todo o mundo, segundo o Registro Internacional de ataques de tubarões. Infelizmente, 492 destes resultaram em morte. Além disso, quem consegue sobreviver ao ataque, além das sequelas físicas, tende a desenvolver estresse e depressão.

E o resultado disso? O medo.  Em lugares como a Austrália, Recife e África do Sul, onde os ataques são frequentes, o turismo é bastante afetado. Só na Austrália, estima-se um impacto anual de 2,9 bilhões de dólares!

Além das placas sinalizando o risco (mas que a galera não respeita!), os governos adotam medidas como a pesca predatória, linhas com ganchos e redes que resultam na morte de mais de 100 milhões de tubarões todos os anos!

Com base nisso, nós da equipe Dynasty pensamos: Como evitar os ataques de tubarões sem machucá-los?

Com um design semelhante às boias de sinalização para barco, o Megalodonte possui ímãs de neodímio acoplados ao seu corpo. Entramos em contato com o doutor Eric Stroud, co-fundador da SharkDefense, empresa que realiza teste sobre o efeito do magnetismo nos tubarões. Então, percebemos que o ímã de neodímio afasta os tubarões (sem machucá-los!).

Implantado a 200 metros de distância da costa, região delimitada pela marinha para banhistas e esportistas, o Megalodonte cria uma zona de segurança contra os ataques de tubarões nas praias.

Mas por que o ímã de neodímio é capaz de afastar os tubarões?”

Conhecendo um pouco mais sobre os tubarões, descobrimos que eles possuem a Ampola de Lorenzini, um órgão sensorial que identifica campos eletromagnéticos, sendo utilizado para sua locomoção e localização de presas. Quando o tubarão percebe o forte campo magnético do ímã neodímio, ele se afasta.

Vale constar que órgãos governamentais como o CEMIT (Comitê Estadual de Incidentes com Tubarões), em Recife, serão os responsáveis pela implantação do Megalodonte nas praias. Inclusive, eles avaliaram positivamente a nossa solução, validando a implantação nas praias!