Para dar início à temporada Animal Allies, nós exploramos mais de 4 problemas da nossa região, realizando pesquisas com fundações, por exemplo a Fundação Serra do Japi, sites, por exemplo, Veja, Ecycle, Ina, especialistas da prefeitura de Jundiaí e diversas outras fontes de pesquisa.
Elencamos então os maiores problemas que os animais sofrem e que também afetam os humanos e fizemos artigos sobre eles, baseando-se nas pesquisas pré- temporada:
Poluição luminosa: excesso de luminosidade que as cidades emitem, cujo as consequências principais envolve desorientação de pássaros, desorientação de animais marinhos além de expor mais as presas.
Atropelamento de animais em rodovias: rodovias mal planejadas que afetaram o habitat dos animais, causando milhões de mortes de espécies de animais silvestres por ano, nas rodovias brasileiras, podendo ser responsáveis até pela extinção de alguns animais.
Desaparecimento das abelhas: desaparecimento de boa parte da população das abelhas devido ao uso dos pesticidas neonicotinóides, que são pesticidas à base de nicotina absorvidos pelas plantas e ingerido pelas abelhas, causando desorientação às mesmas para voltar as colmeias, fazendo com que elas desapareçam.
Dejetos de animais em locais públicos: falta de gestão pública para lidar com dejetos de animais em locais como praças e parques.
Todos são problemas mal resolvidos ou que as pessoas sequer estão cientes sobre, o que nos levou a realizar pesquisas de campo com a população, para decidirmos qual problema tentar solucionar.

Identificação do problema

De acordo pesquisas de campo que citavam cada problema que estudamos, realizadas com pessoas de diversos lugares do Brasil, foi possível constatar que 47% dos entrevistados não estavam cientes sobre o desaparecimento dos polinizadores e além disso, 67% da população preferiu que tentássemos solucionar tal problema.
A pesquisa de campo nos influenciou muito sobre o problema que deveríamos trabalhar, mas além disso, analisamos outros fatores que seriam fundamentais na hora de determinar o problema, como por exemplo, não pegar um tema muito abrangente, como a poluição luminosa, porque a imensidão deste tema poderia dificultar muito na hora de elaborar a pesquisa; outro exemplo é fazer uma estimativa da quantia que provavelmente poderia ser gasta com este projeto, e se chegar ao ponto que se torna quase inviável, decidimos não trabalhar com ele, um caso parecido seria o problema da rodovias.
Artigos da Unicamp¹, da Universidade do Ceará², apostilas educacionais³ e o apoio de algumas campanhas como “Sem Abelha Sem Alimento”⁴, além de diversas outras fontes de informação e compartilhamento, estão nos guiando para tentar solucionar o problema do desaparecimento dos polinizadores, causado principalmente pelo segundo pesticida mais utilizado no mundo.

Fontes citadas no texto

http://www.unicamp.br/fea/ortega/tema¹
http://www.abelhas.ufc.br/documentos/conabelhas.pdfs530/erika.htm²
http://www.pecnordestefaec.org.br/2013/wp-content/uploads/2013/08/CampanhaProtecaoAbelhas.pdf ³
http://www.semabelhasemalimento.com.br/home/polinizacao/⁴

Artigo Sobre Poluição Luminosa

Identificação do nosso problema na íntegra