1º Relato – O início.

24.03.2016 – Karlsruhe, Alemanha

O documento “Proposta Think Team”(Anexo 1) foi digitado por mim com grande receio de ser uma ideia muito absurda. Afinal eu nunca fui técnico de equipes, todo meu conhecimento de FLL vem de um grande esforço em estudar essa organização chamada FIRST. Enquanto eu escrevia eu já percebia que aquela ideia era algo bastante único na história da FLL no Brasil. Eu estava literalmente escrevendo sobre pegar um grupo de crianças todas com histórias fantásticas (estou falando de campeões de torneios internacionais, um garoto que fez parte da equipe com o maior resultado da FLL na história do cenário Brasileiro da competição,entre outras coisas), essas crianças tinham todos os motivos do mundo ,literalmente, para declararem como terminada suas histórias na FLL. Se eu quisesse realmente convencê-los eu precisava propor uma experiência inesquecível, não só para eles como para toda a comunidade FLL, a ideia é fazer com que eles se despedissem da FLL ,como competidores, em grande estilo. Alguns detalhes fizeram com que a ideia fosse atraente: o SESI-SP(de onde esses alunos vem) não permite que os alunos participem da FLL até a idade máxima da competição, assim todos eles por acaso estavam na mesma situação: na idade limite para competir ainda, mas sem a equipe anterior deles. A ideia podia muito bem ser maluca, mas uma coisa eu tinha certeza: ela era única. Como eu não queria beneficiar apenas uma parcela das pessoas envolvidas pensei em uma maneira de beneficiar a todos: primeiramente a mim que sempre sonhei em ser técnico de uma equipe poder por em práticas várias coisas que sempre pensei ao longo destes anos. Aos alunos participantes da equipe, como eles já tiveram uma experiência bastante completa do que a FLL se propôe, a ideia seria tornar a temporada ainda mais desafiante e essa ideia me veio quando eu estava aqui na Alemanha buscando “studentjob’s”, trabalhos que em teoria não deveriam exigir muita experiência, mas pelo contrário, eles exigiam experiências com sistemas de projeto, com situações com membros do projeto longe da matriz do projeto, que falavam diferentes linguas, de diferentes contextos, exigiam experiências que por mais que eu pretendesse adquirir, dificilmente entraria no meu primeiro emprego de engenharia dominando. Por que não então proporcionar algo nesse aspecto para eles ? Uma equipe com membros em diferentes cidades, com poucas reuniões fisicas. Seria a oportunidade de eles trabalharem em uma situação que eles talvez jamais tenham pensado antes. Além disso tudo eles ainda vão poder contribuir com a comunidade FLL do Brasil e do mundo pois a ideia é compartilhar TUDO que é feito, inclusive por meio deste diário de bordo as minhas próprias experiências como Coach de primeira viagem com o auxílio do talentoso Breno Longas, outro cara com uma história sensacional na FIRST.(Anexo 1) Proposta Think Team

Hoje o projeto foi apresentado apenas para os alunos Gabriel e Felipe, além do próprio Breno. Todos eles adoraram de imediato, uma reação que eu sinceramente não esperava. Amanhã é o dia de refinar o documento e mostrar a todos os alunos envolvidos no atual projeto Think FLL.